oct_blog

O que é a Tomografia da Retina (OCT)?

O exame de tomografia de coerência óptica é um dos exames mais modernos, uma tecnologia inovadora, não-invasivo, que permite analisar com detalhes a anatomia da retina, nervo óptico e escavação do nervo óptico.

         Fornece dados precisos da camada de fibras nervosas do nervo óptico, peripapilar, da retina, da mácula.

         Portanto auxilia o exame de fundo de olho e ajuda no diagnóstico de doenças da retina e do nervo óptico.

Como é feito o exame de OCT?

O exame, é rápido, indolor, não invasivo e não há contato do aparelho com o olho do paciente, além disso, dispensa uso de contraste.

         Para o exame ser realizado é necessária a dilatação da pupila do paciente. O paciente é posicionado em frente ao aparelho, com o rosto virado para ele. O aparelho emite um feixe de luz com intensidade próxima ao infravermelho (não causa desconforto), que capta as imagens em corte das estruturas oculares. É necessário colaboração do paciente para que a obtenção de uma boa imagem. O exame é seguro e não há emissão de radiação.

Para que é indicado o exame de tomografia de coerência óptica (OCT)?

O exame é indicado para diagnóstico e acompanhamento de doenças ou condições que causam alterações na retina, no vítreo, na coróide e no nervo óptico. Permite estabelecimento de decisões terapêuticas, assim como na avaliação pós-operatória.

         As principais indicações de realização do exame são nas doenças da retina tais como:

Degeneração Macular Relacionada a Idade (DMRI)

– Vasculopatia polipoidal da coróide,

– Coriorretinopatia serosa central,

– Buraco macular,

– Edema macular (retinopatia diabética)

– Membrana epirretiniana,

– Uveítes

– Tração vítreo-macular.

– Na avaliação do paciente com suspeita de glaucoma (de forma a favorecer um diagnóstico mais precoce),

– Entre outras.  

Portanto, o exame de tomografia de coerência óptica traz inúmeras vantagens auxiliando o diagnóstico, tratamento e acompanhamento de inúmeras doenças oculares do segmento posterior do olho.

Compartilhe esse artigo